sábado, 12 de novembro de 2011

10 filmes

Há filmes que nos marcam mais que outros, por diferentes razões. Resolvi fazer uma lista com 10 que me tocaram de maneira especial. Sendo impossível atribuir-lhes ordem de importância, porque cada um tem o seu lugar, vou começar do mais antigo para o mais recente.

1.    Tokyo Story (1953) de Yasujiro Ozu
A ingratidão dos filhos para com os pais. O tempo que escasseia. Um casal de idosos a caminho da morte. A compreensão e sabedoria dos mais velhos. Os hábitos japoneses. A fixação de Ozu por comboios e pelo enquadramento.

2.    La Strada (1954) de Federico Fellini
La Strada é a enorme Giulietta Masina. O processo de degradação de uma alma pura, pela brutalidade do seu opressor, que anos mais tarde se apercebe de como aquela mulher tocou o seu coração de pedra.

3.    La double vie de Véronique (1991) de Krzysztof Kieslowski
Uma banda sonora esmagadora, uma imagem belíssima e uma realidade que nos escapa e que se nos revela a cada nova visita.

4.    Chunking Express (1994) de Wong Kar-wai
Aquela cena da rapariga a “remodelar” a casa é... tudo. A sua ingenuidade e juventude são fascinantes.

5.    Central do Brasil (1998) de Walter Salles
Poderia ter escolhido Terra Estrangeira, Abril Despedaçado ou Linha de Passe. Todas as histórias são soberbas, mas em Central do Brasil, Fernanda Montenegro leva o filme mais além, embarcando numa viagem tão crua como doce, com um menino por quem fica responsável.

6.    Ten (2002) de Abbas Kiarostami
A vida de dez mulheres em Teerão, da prostituta à devota, da noiva à divorciada. E um menino que se revolta contra a independência da mãe. A crueldade das suas palavras. Uma realidade revoltante. Sem qualquer dispositivo técnico. Filmado por uma câmara colocada no tecto de um carro.

7.    Dolls (2002) de Takeshi Kitano
O desespero. A prisão de dois amantes solitários. Uma fotografia exemplar.

8.    Hable con ella (2002) de Pedro Almodóvar
Não sei se é o melhor filme de Almodóvar. Pouco importa aqui. Ainda não houve uma vez em que não chorasse ao revê-lo. Em que não sentisse as entranhas remexerem-se.

9.    Noite Escura (2004) de João Canijo
O meu filme português preferido. O filme que mais vezes vi. A extraordinária Beatriz Batarda. Uma câmara que corre pelo espaço e devora os personagens. Um mundo sem valores, corrompido pelo dinheiro e pelo sexo. Uma tragédia familiar pintada de vermelho vivo.

10. Another Year (2010) de Mike Leigh
Exímio trabalho de actores, de onde se destaca o papel da actriz Lesley Manville. Aquele último grande plano da sua expressão gasta pelo tempo. O tempo que passa e lhe rouba a alegria e a esperança. A vida tal como ela é, sem ilusões.


De fora tiveram de ficar filmes como Annie HallA Esposa TurcaA Lula e a Baleia ou Last Life in the Universe, porque já não cabiam aqui. E muitos outros que ainda não vi. Por isso esta lista é apenas um pedaço de todo um mundo por descobrir.

2 comentários:

  1. Óptima lista!

    O que (novamente) me faz lamentar não ter conhecido o teu blog antes e convidar-te para a iniciativa que desenvolvi no Keyzer Soze's durante este ano.

    Mesmo assim, é óptimo conhecer os 10 filmes da tua vida! :)

    Cumps cinéfilo.

    ResponderEliminar
  2. Pois, Sam, ouvi falar dessa iniciativa, mas pensei já não ir a tempo. Isto das listas é sempre complicado. Mas daqui a 10 anos fazemos outra. Não pode ser uma coisa fixa. Afinal, ainda há muito cinema para ver e rever. E ainda bem. Beijinhos

    ResponderEliminar